Roda SP vai para o Circuito das Águas Paulista

Roda SP vai para o Circuito das Águas Paulista

O Roda SP no Circuito das Águas Paulista trará diversas novidades imperdíveis!

As opções de roteiros permitem conhecer e aproveitar as belezas naturais, o patrimônio rural, histórico, cultural, de compras e demais atrações da região nos modernos e confortáveis ônibus do Roda SP, com acompanhamento de guias de turismo durante todo o percurso e na visitação dos atrativos.

Com apenas R$10,00 você viaja o dia inteiro!

CIDADES PARTICIPANTES: Águas de Lindóia, Amparo, Campinas, Holambra, Jaguariúna, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Pedreira, Serra Negra, Socorro.

FUNCIONAMENTO:

De terça-feira a domingo – os roteiros possuem dias variados de saída, verificar na aba roteiros.

PERÍODO DE OPERAÇÃO:
– De 21/06/2018 a 06/07/2018.
Não haverá funcionamento nos dias de jogos do Brasil, na Copa do Mundo 2018.

COMPRA DO INGRESSO:

 

1- Pelo site www.rodasp.com

2- Nos Pontos de Venda (funcionamento de terça a domingo, das 9h às 17h)
– Águas de Lindóia: Posto de Informações Turísticas – Praça Adhemar de Barros

– Amparo: Museu Bernadino de Campos – Rua Luís Leite, 7 – Centro
– Campinas: CIS Guanabara – Rua Mario Siqueira, 829 – Botafogo
– Jaguariúna: Parque dos Lagos – Rua Eduardo Tozi, s/n – Vila Doze de Setembro
– Serra Negra: Secretaria de Turismo (nova sede): Avenida Ariovaldo Viana, 99
– Socorro: Moda Shopping – Av. Dep. Antonio Silvio da Cunha Bueno, 3230
Fonte: Roda SP – Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo
Conheça a Cachoeira Grande, no Vale do Paraíba

Conheça a Cachoeira Grande, no Vale do Paraíba

Estamos certos de que a Região do Vale do Paraíba possui seus encantos e é responsável por grande parte do Turismo Religioso, no Brasil. Mas, em meio a tanta religiosidade e tradicionalidade encontramos a Cachoeira Grande, situada na cidade de Lagoinha, SP. Bem próximo a São Luiz do Paraitinga.

Com uma queda de 38m, suas águas são vindas do Rio do Pinhal, formando uma piscina natural, entre a Serra do Mar e a Serra da Quebra-Cangalha. A Cachoeira fica em uma propriedade particular e é, ambientalmente, preservada. O acesso ao local é mediante uma taxa de conservação, no valor de R$15, por pessoa (https://www.cachoeiragrandelagoinha.com/).

No local há lanchonetes, restaurantes, banheiros, vestiários, estacionamento, rapel, tirolesa, yoga e meditação.

Que tal conhecer?! Fica a dica (#FIKDIK)

CARNAVAL: A história dos Bonecos de Olinda, em Pernambuco

CARNAVAL: A história dos Bonecos de Olinda, em Pernambuco

O Carnaval é uma época de alegria, festa, novas amizades, diversão e turismo.  Muitas pessoas deixam suas zonas de convívio comum, para viajar desde à cidades próximas até outros estados. E por isso viajaremos até Pernambuco, no Nordeste do Brasil, mais precisamente até Olinda, para entendermos melhor a história, cultura e crença popular por trás (ou por debaixo) dos bonecos de Olinda: aqueles bonecos enormes que fazem sucesso e são referência no carnaval pernambucano.

Inicialmente, os bonecos gigantes surgiram na Europa, acredita-se que por volta da Idade Média, chegando ao Brasil na pacata cidade de Belém do São Francisco, sertão pernambucano.

Os bonecos surgiram da vontade de um jovem sonhador que ouvia atento as narrativas de um padre belga sobre o uso de bonecos nas festas religiosas da Europa.

Zé Pereira, este é o nome do primeiro boneco gigante, que desfilou no Brasil em 1919. Dez anos depois a companheira de Zé, foi criada, ou confeccionada, chamada de Vitalina. Mas, somente em 1932, que os bonecos ganharam as ladeiras de Olinda, com o personagem “Homem da Meia-noite”. Segundo a crença popular, todos os dias, exatamente à meia-noite, um homem muito bonito seguia a pé pela Rua do Bonsucesso. Ele fazia sempre o mesmo caminho. Depois de um certo tempo, as moças da rua descobriram a rotina dele e passaram a esperar, escondidas, atrás das janelas, para admirar o belo homem que atravessava a rua. A fama desse costume foi se espalhando e virou uma brincadeira de carnaval. Fizeram um boneco bem grande, todo bonito e elegante, de terno, gravata e chapéu, para passar à meia-noite, começando a festa de carnaval, na sexta-feira. Curiosidade: até hoje, o boneco faz o mesmo percurso do Homem da Meia-Noite. Depois dele, surgiram a Mulher do Meio-Dia, o Menino da Tarde entre outros.

Diante da popularização dos bonecos gigantes, a história ganha mais um novo capítulo em 2003, quando houve o primeiro encontros dos Bonecos Gigantes, no sítio histórico de Olinda, lá os Bonecos de diversos artistas se encontram para desfilarem juntos. Entre 2007 e 2008 o mais recente capítulo dessa história foi escrito pelo artista Leandro Castro que criou a nova geração de bonecos, esta que estamos acostumados a ver em fotos e telejornais, com o objetivo de dar vida a personalidades fortes da história e cultura brasileira, além de ícones mundiais  como Luiz Gonzaga, Chacrinha, Elvis, Michael Jackson, Roberto Carlos, Rita Lee e entre outros.

Foto: Thays Estarque / Portal G1

Esta nova geração vem impressionando cada vez mais o público, pois o realismo é de deixar-nos de queixos caídos. Vários artistas, não só criam os bonecos mas, levam em consideração os cenários atuais, tanto no Brasil quanto no mundo, é o que aconteceu este ano, onde o boneco de Kim Jong-un (Ditador norte-coreano) se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

 

 

 

 

 

Pesquisa, Texto e Adaptação: Eder Almeida Cozer

REFERÊNCIAS:

  • Empresa Brasileira de Comunicação. https://goo.gl/enXr8A. Acesso em 05/02/2018.
  • Embaixada de Pernambuco – Bonecos Gigantes de Olinda. https://goo.gl/YGc9sG. Acesso em 05/02/2018.