Curiosidades História e Cultura

CARNAVAL: A história dos Bonecos de Olinda, em Pernambuco

O Carnaval é uma época de alegria, festa, novas amizades, diversão e turismo.  Muitas pessoas deixam suas zonas de convívio comum, para viajar desde à cidades próximas até outros estados. E por isso viajaremos até Pernambuco, no Nordeste do Brasil, mais precisamente até Olinda, para entendermos melhor a história, cultura e crença popular por trás (ou por debaixo) dos bonecos de Olinda: aqueles bonecos enormes que fazem sucesso e são referência no carnaval pernambucano.

Inicialmente, os bonecos gigantes surgiram na Europa, acredita-se que por volta da Idade Média, chegando ao Brasil na pacata cidade de Belém do São Francisco, sertão pernambucano.

Os bonecos surgiram da vontade de um jovem sonhador que ouvia atento as narrativas de um padre belga sobre o uso de bonecos nas festas religiosas da Europa.

Zé Pereira, este é o nome do primeiro boneco gigante, que desfilou no Brasil em 1919. Dez anos depois a companheira de Zé, foi criada, ou confeccionada, chamada de Vitalina. Mas, somente em 1932, que os bonecos ganharam as ladeiras de Olinda, com o personagem “Homem da Meia-noite”. Segundo a crença popular, todos os dias, exatamente à meia-noite, um homem muito bonito seguia a pé pela Rua do Bonsucesso. Ele fazia sempre o mesmo caminho. Depois de um certo tempo, as moças da rua descobriram a rotina dele e passaram a esperar, escondidas, atrás das janelas, para admirar o belo homem que atravessava a rua. A fama desse costume foi se espalhando e virou uma brincadeira de carnaval. Fizeram um boneco bem grande, todo bonito e elegante, de terno, gravata e chapéu, para passar à meia-noite, começando a festa de carnaval, na sexta-feira. Curiosidade: até hoje, o boneco faz o mesmo percurso do Homem da Meia-Noite. Depois dele, surgiram a Mulher do Meio-Dia, o Menino da Tarde entre outros.

Diante da popularização dos bonecos gigantes, a história ganha mais um novo capítulo em 2003, quando houve o primeiro encontros dos Bonecos Gigantes, no sítio histórico de Olinda, lá os Bonecos de diversos artistas se encontram para desfilarem juntos. Entre 2007 e 2008 o mais recente capítulo dessa história foi escrito pelo artista Leandro Castro que criou a nova geração de bonecos, esta que estamos acostumados a ver em fotos e telejornais, com o objetivo de dar vida a personalidades fortes da história e cultura brasileira, além de ícones mundiais  como Luiz Gonzaga, Chacrinha, Elvis, Michael Jackson, Roberto Carlos, Rita Lee e entre outros.

Foto: Thays Estarque / Portal G1

Esta nova geração vem impressionando cada vez mais o público, pois o realismo é de deixar-nos de queixos caídos. Vários artistas, não só criam os bonecos mas, levam em consideração os cenários atuais, tanto no Brasil quanto no mundo, é o que aconteceu este ano, onde o boneco de Kim Jong-un (Ditador norte-coreano) se encontrou com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

 

 

 

 

 

Pesquisa, Texto e Adaptação: Eder Almeida Cozer

REFERÊNCIAS:

  • Empresa Brasileira de Comunicação. https://goo.gl/enXr8A. Acesso em 05/02/2018.
  • Embaixada de Pernambuco – Bonecos Gigantes de Olinda. https://goo.gl/YGc9sG. Acesso em 05/02/2018.

Comentários

comentários

Eder Almeida Cozer

Olá, tudo bem? Tenho 23 anos, Formado em TI, amante por turismo e fascinado pela natureza, atualmente estudo Técnico em Guia de Turismo, na ETEC Martin Luther King. Sempre gostei de organizar eventos e passeios, dentro dos meus trabalhos: Jornada Mundial da Juventude (organizei a ida para 95 pessoas), Hallel Aparecida (várias edições), Passeios com a namorada, Romarias, Excursões... Ao concluir o curso irei me registrar no CADASTUR, e abrir minha agência para poder ofertar as melhores excursões pelos melhores preços. LEMA: "Viajar em grupo lhe proporciona experiências incríveis"